Quando desinformar é cômodo

Neste artigo, o especialista faz uma reflexão sobre o comunicado feito pela Receita de paralisação do sistema de NF-e.

Quando desinformar é cômodo

No dia 9 de maio de 2022, a Receita Federal do Brasil divulgou no Portal Nacional da NF-e uma notícia que, no mínimo, seria equivalente a uma notícia falsa – fake News. 

Dizia o comunicado, em portal público e oficial, como ainda lá está, que o sistema da nota fiscal eletrônica seria paralisado no dia 13 de maio de 2022, às 22h, e retornaria somente às 00h do dia 16 de maio de 2022. 

O comunicado informava ainda que os serviços do sistema de nota fiscal eletrônica seriam retirados do ar, incluindo o recebimento no ambiente nacional dos documentos emitidos nas unidades federadas, entre outros.

Quando fui consultado sobre a veracidade do comunicado, logo pesquisei e percebi que era real, mas que não parecia ser tão grave já que a  Sefaz Virtual do Rio Grande do Sul (SVRS) seria mantida para atender às demandas de emissão dos documentos.

Ocorre que sem a base nacional algumas operações ficariam prejudicadas, como manifestação do destinatário ou pesquisas sobre os dados de conhecimentos de frete.

O comunicado pode ser acessado clicando aqui. 

No dia 12 de maio de 2022, a Receita Federal do Brasil publicou novamente. Nesta publicação, o comunicado afirmava que os serviços não seriam prejudicados, gerando para alguns tranquilidade e para outros maior preocupação. 

Mais tranquilidade para quem apenas quer usar o sistema e precisa que o sistema mantido pelos órgãos estatais esteja disponível. 

Já para outros, que acreditaram no primeiro comunicado e tomaram providências, incorreram em custos inexplicáveis (aos gestores máximos das organizações) de contingência. O comunicado adequado fora publicado tardiamente, pois havia três dias entre um e outro.

O comunicado pode ser acessado clicando aqui

Uma questão que ainda está sem resposta para a sociedade, que arca com todos os custos da solução de nota fiscal eletrônica, é por que o primeiro comunicado foi publicado? 

Uma notícia tão estapafúrdia não poderia ter sido veiculada! Quem foi responsável por esta publicação e quais lições foram aprendidas neste episódio? 

Ao analisar as falhas deste episódio poderá haver algo proveitoso de uma comunicação tão falha, para dizer o mínimo. Com a palavra, a Receita Federal do Brasil para suas explicações e esclarecimentos sobre as providências à sociedade. 

O custo para um episódio já foi alto. Repeti-lo seria uma estupidez!   

Nos conte como sua organização lidou com esta situação.